Clipes Gauchos

Jari Terres Junior

Jari Terres – Moura Negra

Jari Terres – Moura Negra

    

IMDB: /10 Votos

Jari Terres - Moura Negra Gracias, meu Deus pelo regalo Eu tenho uma quadrilha Crioula, de bons cavalos De acordar o canto dos galos Do gateado até a rosilha Me faltava a moura negra Pelagem das "mais gaúcha" Quando nasceu eu assobiava Toda arisca se assombrava Ficou o nome de bruxa O pêlo da criatura Assusta até a madrugada E o matiz de sua negrura Co'a serração da lonjura Prenuncia uma geada Potranca que amanunciei Por ser buena e querendona Será campeira e de lei Só não faço o que não sei Te passo em ponto de doma Leandro Simões, uma ...

Estampa Domingueira – Jari Terres

Estampa Domingueira – Jari Terres

Estampa Domingueira - Jari Terres Linda minha estampa domingueira Quando chego no povoado Trago além da minha fronteira Uma sina musiqueira De quem vem contrabandeando. Bueno este potro de rendilha Num trancão de pisa-flor De uma pelagem tordilha Traz a origem da tropilha Pela mão do domador. Chego, já na frente da janela De um ranchito bem cuidado Assoviando algo pra ela Que esta copla tão singela Eu compus pro teu agrado. Olhos de pealar um coração Na minha vida tão pequena Do aguapé de um lagoão Trago a flor do meu rincão Pra o cabelo da morena. Pra estância que ...

No Rumo dos Teus Olhos-  Jari Terres

No Rumo dos Teus Olhos- Jari Terres

No Rumo dos Teus Olhos- Jari Terres Venho estradeando há muitos dias esta solidão Mascando o pó das ânsias de ficar longe de ti Com dois pingos de tiro pelo corredor, Do rumo dos teus olhos me perdi Perdoa linda se esta sina que me obriga a andar, Do rumo dos teus olhs me afastou E volto a dar-te a mão, pedindo o teu perdão Pois sei que errei e humilde aqui estou Sai buscando a volta deste sonho encilhei E o lenço que abanaste na distancia se perdeu A cruz ...

Luiz Marenco e Jari Terres Junior – Onde andará

Luiz Marenco e Jari Terres Junior – Onde andará

Luiz Marenco e Jri Terres Junior - Onde andará Onde andará a silhueta Desses antigos campeiros Que desenhavam saudades Na fumaça dos palheiros E madrugavam setembros Na voz clara dos braseiros Onde andará a manhanita Dos mates de gosto bueno Da encilha dos gateados Contraponteando o sereno E a humildade dos ranchos Guardando sonhos morenos Onde andará o verso claro Ponteado numa canção Que se espalhava em floreios Pelas tardes do galpão E matizavam campeiros Ao som da gaita e violão Onde andará a tarde longa Das ressolanas campeiras Onde a alma desses tantos Cruzava além da porteira Pra o mundo das invernadas Por ...

Jari Terres e Luiz Marenco – Alma de Estancia e Querencia

Jari Terres e Luiz Marenco – Alma de Estancia e Querencia

Jari Terres e Luiz Marenco - Alma de Estancia e Querencia Da gadaria faz silhueta a madrugada Das quatro quadras da invernada do branquilho Rodeio grande, saltou cedo a peonada Trazendo a lua na cabeça do lombilho A mim me toca repontar o fundo do campo Na hora santa em que a manhã tira o seu véu Levo na testa do gateado a última estrela Que aquerenciada não quis mais voltar pra o céu E o meu cavalo que "le gusta" ouvir um silvido Olha comprido e põe tenência nas ...

Jari Terres – Romance de Um Peão Posteiro

Jari Terres – Romance de Um Peão Posteiro

Jari Terres - Romance de Um Peão Posteiro Quando volto às casas num final de tarde Venho assoviando uma coplita mansa Meio basteriado pela dura lida Mas meu coração canta de esperança Sei que me esperam junto da janela Dois olhos matreiros presos à distância É a dona do rancho que sai porta a fora Para os braços rudes desse peão de estância É um rancho posteiro num fundo de campo Meu pequeno mundo que eu mesmo fiz Como por encanto torna-se um palácio Para a prenda rainha que me faz feliz Essa ...

Quando o Verso Vem Pras Casa – Luiz Marenco e Jari Terres

Quando o Verso Vem Pras Casa – Luiz Marenco e Jari Terres

Quando o Verso Vem Pras Casa - Luiz Marenco e Jari Terres A calma do tarumã ganhou sombra mais copada Pela várzea espichada com o sol da tarde caindo Um pañuelo maragato se abriu no horizonte Trazendo um novo reponte prá um fim de tarde bem lindo Daí um verso de campo se chegou da campereada No lombo de uma gateada frente aberta de respeito Desencilhou na ramada já cansado das lonjuras Mas estampando a figura campeira bem do seu jeito Cevou um mate pura-folha jujado de maçanilha E um ...